Publicado por: PROFª SURAIA | 20/12/2009

Alice no pais da mentira


Pedro Bandeira diz que desde pequeno sempre teve muito jeito para inventar histórias. Ou, segundo sua aguda observação da realidade – capacidade que nunca lhe faltou -, tinha muito talento para contar mentira. Ele acha engraçado lembrar que, depois que passou a relatar por escrito suas mentiras, ou melhor, as invenções literárias que criou e cria, todo mundo passou a dizer: "Mas que criativo!".

O livro Alice no País da Mentira, é uma demonstração de que as inocentes mentirinhas da infância do escritor evoluíram a um estágio de sólido requinte literário.

Claramente associado aos clássicos do inglês Lewis Carroll (autor de Alice no País das Maravilhas e Alice através do espelho), o novo livro de Pedro Bandeira narra as visitas de Alice a dois lugares completamente diferentes da realidade a que está habituada: os países da Mentira e da Verdade.

A fantasia de Alice tem início após uma situação traumática, ao ser caluniada pelo melhor amigo, Lucas. Bem magoada, isola-se no sótão da casa da avó e descobre um espelho que reflete não só o lugar onde estava, mas também outro sótão, que ela chama de Sótão do Espelho. Curiosa, atravessa a surpreendente face mole do espelho e começa a explorar os objetos desse novo lugar.

Como a poeira toma conta de tudo que está lá, um espirro é inevitável, e serve de passaporte para sua viagem ao País da Mentira. Ciceroneada pelo Barão Mimi, o governador de todas as mentiras, Alice começa a entender que, dependendo da mentira, ela pode ser, como diz Pedro Bandeira, "proferida para não ofender outras pessoas". Assim, a garota começa a assimilar a idéia de que falar uma mentira nem sempre é um mal, e vai conhecendo a natureza de diferentes tipos delas, como a monstruosa Mentira Cabeluda.

Utilizando-se novamente desse espelho tão especial, Alice vai parar no País da Verdade, guiada dessa vez pelo Sábio Didi, tratamento informal para Diógenes de Sínope, filósofo grego nascido em 413 a.C. Lá, aprende rapidamente que as verdades podem ser "relativas", não existindo, portanto, somente boas verdades. Ou, como ensina Bandeira, "há verdades horrendas, como a delação".

Nos dois países, em diferentes circunstâncias, a garota ouve um aviso muito importante: "Aprenda a escolher! Você tem de descobrir a diferença!". Alice começa a compreender o quanto há de relativo nas verdades e mentiras "absolutas".

Anúncios

Responses

  1. eu tem que fazer um trabalho de português mais parece muito grande e complicado de le oque vocês acham?

  2. Eu li esse livro no colégio,amei!!! Ele é ótimo!!! Custei pra achar ele aqui no Rio de Janeiro!!!

  3. Esse livro deve ser muito bom….

  4. esse livro é muito legal eu amei

  5. adorei e bem interesante

  6. esse livro é um dos melhores q eu li ele é mt bom…mt bom ñ ele é otimo!!!!!

  7. esse livro é um dos melhores q eu li ele é mt bom foi a minha professora q me emprestou para ler e eu adoreiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!

  8. eu estou lendo e atá aonde eu li é muuuuuuuuuuuuuito legal

  9. euu ameiiiiii esse livro…

  10. euu ameiiiiii esse livro

  11. eu amei eu leio ele na escola na sala de leitura é de mais

  12. livro maravilhoso mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: