Publicado por: PROFª SURAIA | 28/09/2009

Como e por que ler os clássicos universais desde cedo


Ana Maria nos conta nesse livro como, desde cedo, aprendeu a se apaixonar por Dom Quixote. Estava bem acompanhada por Drummond e Robinson Crusoé, Clarice e Narizinho, Hemingway e Huckleberry Finn. O livro parte de premissas evidentes, mas nem sempre compreendidas: ler não é obrigação, é direito; clássico não é o que é velho, mas o que é eterno sem sair de moda; forçar a ler é inocular o horror a livro; e para começar a ler os clássicos, não é preciso ler o original. A partir dessas quatro regrinhas básicas, Ana Maria nos conduz por uma irresistível viagem pelo maravilhoso mundo dos clássicos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: